quinta-feira

Se faz sentir faz sentido

 The Craft Company é não só um lugar de sonho, como também uma loja cheia de boas iniciativas. Desta vez recebeu a Vanessa, a parceira Internacional do Projecto Dress a Girl Aroun the World (Portugal). A Sacha conseguiu desafiar uma mão cheia de voluntárias com vontade de trabalhar. Éramos tantas que tive de abandonar a máquina de costura para dar a vez a outra voluntária. Passei para a costura à mão e quando já não tinha como trabalhar aproveitei e fui dar dois dedos de conversa com a Sacha e fazer uns investimentos em tecidos e numas agulhas Zing 2.75
Foi um par de horas bem passadas, a costura era sentida fazendo mais sentido. No final da tarde a Vanessa conseguiu levar 17 vestidos concluídos e eu tecidos azuis que há muito procurava e mais importante do que isso, um coração cheio, uma alegria imensa!
Não me apetecia regressar a Lisboa. Perdida nos meus pensamentos fui deambular por Cascais

quarta-feira

A minha costela Açoriana

Já tinha Saudades dos meus pais, da minha irmã e das minhas sobrinhas! Chegaram ontem dos Açores, da Ilha de São Miguel, mais precisamente da Caloura. O meu pai quando chegou ofereceu a cada um dos filhos um livro com os poemas do nosso Bisavô, fotografias e aguarelas da Caloura onde a família se reunia no Verão. Um livro que tem como objectivo "(...) fazer com que as pessoas mais idosas se recordem com afeto das suas memórias, e que os mais jovens se apercebam e se orgulhem do grande valor patrimonial, arquitetónico e cultural existente na nossa vila, daí o nosso dever em respeitar, manter e preservar estas vivências para o futuro". Este é o livro que hoje folheei fascinada com fotografias de outros tempos (algumas do meu avô) onde é possível observar uma infinidade de práticas artesanais e tradicionais. Mais logo, com calma, lerei alguns poemas do meu bisavô. Um livro que vai ficar na mesa de apoio da sala, para ser lido e folheado pela família, vezes sem fim.
Ao serão talvez termine (estou na última cor!) o xaile "Deep end", do Kit que comprei na Ovelha Negra. Como podem ver pelo que sobrou de cada um dos novelos, o kit tem quantidades generosas de cada cor, o que dá margem para enganos e adaptações, como tal recomendo!
Yarn Along
Nota: fotografias com GalaxiTab2!

segunda-feira

Leituras e nada mais

Depois de terminar "O Hipnotista", uma leitura extremamente intensa na qual ao virar de cada página encontrava o pior da espécie humana, senti necessidade de abandonar a "alta tensão" deste tipo de policiais, escritos com grande mestria, que me prendem mas que simultaneamente tenho vontade de largar.
Optei por uma leitura ligada ao meu dia-a-dia tanto profissional, como familiar. A Amy Chua fez-me pensar exaustivamente na educação que os meus pais me deram, na que dei aos meus filhos e nas minhas práticas pedagógicas. Escrevi os meus pensamentos e reflexões (a escrita sempre me ajudou imenso!) mas apenas para mim evitando assim expor a minha família e alunos. Não concordo, de todo,  com o que li na sinopse "pontuado por um humor que surpreende a cada página". Talvez o erro seja meu e tenha levado a leitura demasiado à séria! De uma coisa estou certa, cada filho, cada aluno, é um caso e todos eles são especiais, cada um à sua maneira. Não há receitas ideais nem manuais de instrução no que diz respeito a educar*. Existe sim bom senso intimamente ligado a uma grande dose de dedicação, paciência sem fim e amor incondicional no que diz respeito aos filhos e paixão pelo que fazemos no que diz respeito aos alunos. Na sinopse podemos ler ainda "A vida em família transformou-se num campo de batalha", algo que devemos evitar a todo custo quer na família, quer na escola. Quanto à escola os casos que me deram mais satisfação foi acompanhar alunos que estavam quase que abandonados pela família. Em oposição também tive, há uns três anos, um grupo de 5 alunos excepcionais nas aulas de apoio acrescido abertas a todos os alunos, mas em que apenas aqueles cinco alunos compareciam todas as semanas. Nessas aulas tanto eu como eles íamos mais além do programa. Entusiasmei-me com o fascínio deles pela Ciência, a curiosidade que os levava a pensar, a pesquisar e o prazer que tinham com cada descoberta que faziam e que depois me vinham ensinar. Isto é o que me faz gostar de andar ainda na escola,(o meu marido defende que é uma questão genética) pois em termos do estado do ensino em Portugal nem tenho vontade de falar, mas desabafando escrevo apenas que os currículos, as didácticas e as práticas pedagógicas de um modo geral, estão mais do que ultrapassados, já para não falar em termos de carreira, dá vontade de largar tudo e "mandar para as urtigas" uma dedicação de 28 anos! Voltando ao livro "O Grito de Guerra da Mãe Tigre", foi mais uma leitura intensamente vivida, procurando descansar mergulhei de cabeça na "Vida secreta das árvores". Ainda li muito pouco mas estou a adorar. Atenção que sou Bióloga, apaixonada pela Botânica e Ecologia, talvez seja um livro que não agrade a todos! Penso que será um bom livro para as bibliotecas escolares mas primeiro terei de concluir a minha leitura. Dois  livros que recomendei para a biblioteca da minha escola e que têm sido bastante requisitados foram "Lá Fora", do Planeta Tangerina e "Viagens no Azul", de Pedro Barreiros.
O texto é longo (contrariamente ao que eu pensei fazer durante o Verão!) mas não me apetece cortar nada; "nada mais" é o resultado de ter emprestado a máquina fotográfica ao meu filho, mas esta escrita dispensa qualquer imagem a não ser para tentar cativar o leitor que aqui chega e não fica só porque ...

* ainda assim, neste momento dedico-me ao estudo da Pedagogia Waldorf

domingo

Mergulhos, malha no jardim e SBSR

Sou uma "Caramela" de óculos escuros,  não aguento a intensidade e jogo de luzes!
Este ano a minha irmã teve falta!
Os 4 manos em 2015


segunda-feira

AlémTejo

 A "Branquinha"  já está tão crescida!
O calor derreou os animais, às crianças deu-lhes ainda mais energia, quanto a mim, aproveitei o Sol forte para me refugiar na sombra a fazer malha, intervalando com pequenas caminhadas também elas pela sombra.
O meu afilhado tem 4 anos acabados de fazer e a família chama-lhe "o Piadinhas", eu defendo mais a opinião que a sua inteligência promete ao chamar "AlémTejo" ao nosso "Alentejo!

Xaile de Julho

Sexta-feira chegou o Kit da Ovelha Negra e de imediato peguei nele. O Kit é uma excelente ideia (em tempos sugeri a uma loja) permitindo-nos adquirir apenas a quantidade necessária para o xaile, o que fica mais económico do que a compra dos novelos inteiros de cada cor.
Antes de pegar na malha completei o meu trabalho de "Boro" para o Land Rover e o Zé completou a sua parte!
Quando ficou fresco mudei de lugar e apercebi-me o quanto estava desconfortável  encostada ao pinheiro!
Trabalho concluído segundo o Zé mas eu quero dar mais uns pontos!

Fugindo do Caos

No Verão fugimos das praias e das multidões ávidas de sol, porém nunca deixamos de ir ver o mar!
Não nos conseguindo refrescar no mar, procuramos a brisa fresca da Serra e do pinhal!
Continuamos numa busca intensa de um terreno para nos mudarmos. Os nossos filhos (e nós!) estão a ser encurralados pela cidade. Sentimos urgência de lhes arranjar um Refúgio, sempre habituados a uma vida ao ar livre, receamos que um dia ainda sufoquem nas suas rotinas de jovens adultos. 
Para eles colhemos esta nossa memória física que já vive num vaso junto a muitas outras. Espero que pegue e se dê bem no nosso Lar.