sexta-feira

Tarde bem tranquila

Remediei a falta de bom tempo na praia, mergulhando de cabeça na leitura.
Uma história dentro de uma história:
"Uma das histórias que contou foi a do Presente Precioso.(...)ficou muito entusiasmado e perguntou que presente era.(...)disse-lhe que, a seu devido tempo, ele acabaria por descobrir, mas que era uma coisa que lhe traria uma felicidade duradoura como nunca antes sentira.(...)Então manteve os olhos bem abertos(...).Por fim, depois de tantos anos de busca apercebeu-se. Porque seria que o Avô estava sempre tão satisfeito, tão contente, tão sereno? Porque seria que, quando se falava com ele, ele nos fazia sentir a pessoa mais importante deste mundo? Porque seria ele capaz de criar uma atmosfera tão pacífica à sua volta que a passava a todos que conhecia? Afinal, o Precioso Presente não era um presente no sentido material da palavra. Era de facto o aqui e agora, o presente...(...) Tinha vivido o momento e saboreara cada segundo. Não existia o amanhã, pois por que razão se há-de gastar energia numa coisa que pode não acontecer? E não se demorava no ontem, porque ontem já passara e já não existia. O presente é a única realidade, e para obter a felicidade duradoura é preciso aprender a viver o aqui e agora e não nos preocuparmos ou perdermos tempo com outras coisas". Santa Montefiore
O fim de tarde dediquei-o a mais um bordado do S.A.L. "A Gardener's Journal"...
 Descobri que os jardins são indiscretos! Além do chilrear dos pássaros e do zumbido das abelhas, ouve-se a conversa dos vizinhos. No campo não se aplica "Se estas paredes falassem?!", mas....

2 comentários:

Chookyblue...... disse...

lovely GJ stitching........enjoy your summer.........

aqui no campo... disse...

que giro!
Já perdi o jeito (se alguma vez o tive) para o bordado, mas confesso que tenho saudades!
Este parece ser o máximo!!!