quarta-feira

Adeus à casa Amarela

Teve mesmo de ser, quem fica a perder mais é a "trupe canina". A crise económica, as obras durante o fim de semana na casa da vizinha,  a juntar-se à adolescência de um filho,  complicou tudo!
E a propósito de filhos, quando amamentava o António dei comigo a questionar o pediatra " Como é que sei que já mamou o suficiente? A maminha não é transparente, nem graduada!". Os filhos dão sempre muito que pensar, são todos tão diferentes! Deviam vir com um  manual de instruções para nos ajudar...orientar...! Mas quando é necessário eles sabem  como me mimar e  também me receberam sem um manual! A partilha de cada momento e o crescermos juntos criou laços e uma grande cumplicidade.
Apesar de há mais de 20 anos trabalhar entusiasticamente com adolescentes, algo nada monótono, um desafio constante que tem os seus momentos  bem animados, quando se trata do meu filho o desafio desgasta-me e por vezes causa-me uma profunda mágoa e questiono-me "Em que é que falhei?!".
Consta por aí que Homens e Mulheres vêm  de planetas diferentes, cá em casa a adolescência das minhas filhas foi bem diferente da do meu filho, será por isso?!
Voltando ao que me faz menos feliz e mais cansada com tanta mudança, largar o meu "Refúgio".
A fofinha tentou animar-me "adoçando" os meus pensamentos e a minha alma, com umas "fabulásticas" bolachas com pepitas de chocolate e muffins.


 Depois dos mimos, deliciosamente apaladados, consegui ver as coisas de outra forma. Fiquei com mais tempo não só para a família como também para os amigos, sendo apenas "dona de casa" de um apartamento na cidade, restando-me ainda quartos "Entre a Serra e o Mar" na casa de uma belíssima "dona de casa" chamada Fatita, a minha Mãe!
 E com todo o meu optimismo, vou "vivendo" num Mundo fantástico, povoado por fadas e duendes, entre linho e linhas coloridas, tentando sempre Reinventar a felicidade!

7 comentários:

caoaoao disse...

Eu acredito que tudo acontece por uma razão.Nunca sabemos o que o futuro nos reserva e quando se fecha uma porta abre-se sempre uma janela!Bons bordados.

caoaoao disse...

Ainda venho aqui deixar uma página cheia de inspirações!

https://picasaweb.google.com/Diorella33/Sommerland#

Borboleta Serrana disse...

Obrigada pela página, é fantástica!

Estou de braços abertos, a uma janela escancarada, pronta para receber o que me espera do lado de lá.

bjns e obrigada

30por1linha disse...

Espirito positivo... tudo vai acabar por se encaixar :)
bjs,
carla

Borboleta Serrana disse...

Obrigada Carla!
bjns

Elisabete disse...

A casa é só um valor material, temos que nos desprender e focar-nos naquilo que é importante: a felicidade e como li algures:
"Estamos aqui para sermos felizes, não para outra coisa. Porém, felicidade não é prazer, é integridade. Quando todos os sentidos se consagram ao ser, podemos ser felizes. Somos felizes quando cremos em nós mesmos, quando confiamos em nós, quando nos empenhamos transpessoalmente a um nível que transcende o pequeno eu ou o pequeno ego. Somos felizes quando temos um sentido que vai mais além da vida cotidiana, quando não adiamos a vida, quando não nos alienamos de nós mesmos, quando estamos em paz e a salvo com a vida e com nossa consciência. Viver o Presente."

Tudo muda!
Um beijinho,
Elisabete

marbris disse...

Como faço para conseguir o risco dos duendes?grata marcia