segunda-feira

Li...

"Ficar triste por partir nem sempre é motivo para ficar. (...) Por vezes tomar um novo rumo, mesmo que ele não estivesse nos nossos planos iniciais, pode acabar por ser a melhor opção."

Gostava de criar  ovelhas, viver ao ritmo dos seus chocalhos, partilhar o ar do campo...!

 Cansei do ruído, do ar da cidade e  ando decepcionada com algumas pessoas que, como eu, foram para o ensino, mas não abraçaram a profissão com paixão, não medindo o efeito que têm nos jovens em formação, sendo do mais anti pedagógico que conheço! Pensar que os meus filhos tiveram e têm assim uns quantos professores entristece-me profundamente, embora lhes diga que tudo faz parte do crescimento e que lhes dá "jogo de cintura"!
 Era tão bom que a passagem pela escola fossem anos de glória, repletos de alegrias e de memórias fantásticas!
 Hoje sinto-me triste...apetece-me fugir...ser pastora...ir para o monte com as minhas ovelhas...tricotar!

4 comentários:

Paula P. disse...

Adorei os teus comentários... junto-me por isso ao teu clube!
Ir para o campo ía já, com ou sem ovelhas... tricotar, bordar, ler, ver bons filmes, fazer e comer docinhos e sopinhas do campo...sei lá eu mais o quê!
Infelizmente...ainda não pude!
Bjs

sandra disse...

Vá lá, anima-te, que é meio caminho para encarar as dificuldades e decepções de forma mais ligeira...

Borboleta Serrana disse...

Obrigada Sandra!

E dou as boas vindas à Paula "pastora";)

Naná disse...

Infelizmente encontramos maus profissionais em tudo quanto é profissão, mas é mais grave quando isso afecta o nosso crescimento e o daqueles que amamos...
Às vezes o que nos faz falta é mesmo um refúgio, onde nada disso entre e onde possamos retemperar forças!
Beijinhos!