sexta-feira

Malha, matemática e Netflix


Andei uma semana de volta do casaco com torcidos. Não estou a fazer com o fio recomendado, e por isso tenho 22 malhas por 10 cm, em vez de 18 malhas por 10 cm, como no projecto. Em termos de carreiras obtive o mesmo número de carreiras do modelo, apesar da composição do fio ser diferente. Perante esta diferença tive de fazer cálculos tal como aprendi na Craftsy com as aulas da Amy Herzog. Como forma de verificar os meus cálculos, iniciei o projecto pelas mangas, algo que faço sempre que a construção do modelo mo permite.
Como gosto das mangas "largas", optei por fazer o tamanho maior de manga. Experimentei e gostei da forma como veste. Precipitei-me e resolvi iniciar o corpo, ignorando os cálculos e fazendo o tamanho maior. Tive de refazer e uma vez mais enganei-me por estar distraída, o que resultou em malhas em falta, tendo só dado por isso quando iniciei o esquema dos torcidos.
Recomecei pela terceira vez, verificando os cálculos e tendo em conta que tenho 2.2 malhas por cm, e tendo medido 98 cm  debaixo da cava, com folga, multipliquei estes dois valores tendo obtido 215.6, sendo este o número de malhas, na zona do peito (neste caso é igual ao número de malhas na montagem), que considerei na escolha do tamanho. Confrontei com os primeiros cálculos e confirmei que é o tamanho que me ficará melhor, embora para o grande (tal como eu gosto!).
Este início do casaco tem sido feito a ver Land Girls na Netflix e ontem iniciei uma nova série, Ana com A. A primeira série é da BBC, sendo rica em modelos de malha. A netflix tem me ocupado o tempo que estou em frente à televisão e por isso não tenho visto podcasts, no entanto vi o último episódio da fruity knitting por causa da entrevista à Isabell Kraemer, onde por coincidência é referido os cálculos a efectuar na adaptação do tamanho, sendo feita referência a episódios mais antigos, onde é explicado os cálculos que se devem fazer na hora de escolher o tamanho que mais se aproxima das nossas medidas. Apesar destes vídeos explicativos gratuitos, recomendo vivamente as aulas ou o livro da Amy Herzog, que explica de forma clara as adaptações que devemos fazer em função do tipo de construção dos modelos.

2 comentários:

P disse...

Sempre bons conselhos! :)
O Netflix tem sido um vício ultimamente. Estamos a ver "The Crown" depois de termos visto "O tempo entre costuras".
Em relação ao tricot ando a arranjar coragem para voltar ao fair isle mas tenho a certeza que não é compatível com o Netflix por isso tenho a impressão que este último vai ganhar por enquanto :) bj

Sofia Amaral M. disse...

Li o livro "O tempo entre costuras" o que me levou a ver o primeiro episódio, mas agora estou a vet "The Crown". A Netflix é viciante, foi um presente de Natal dos meus filhos para me entreter enquanto faço malha.

Beijinhos Paula